Categorias
Sobre a IRO

Por que cantamos muitos Salmos?

Servorum Dei: Aprendendo com o rei Davi (parte 2)
Vitral representando o Bem-Aventurado Rei Davi

Normalmente, a primeira coisa que um cristão evangélico se pergunta quando participa pela primeira vez de nosso culto é: “Nossa, por que eles cantam salmos?” 

De fato, a maior parte das igrejas protestantes não mais segue essa prática importante para a vida espiritual da Igreja de Cristo. 

Por isso, vou mostrar para você três benefícios práticos do cântico de Salmos para a vida do crente nesse texto de hoje.

1) Os Salmos são o hinário do Espírito Santo

Na palavra de Deus, possuímos diversos tipos de livros. Uns são feitos para nos dar sabedoria, outros para nos contar histórias sobre o povo de Deus e sobre a redenção em Cristo. O livro dos Salmos é bem diferente desses outros.

Quando o Espírito Santo nos deu os Salmos ele intencionava que o utilizássemos em nossas orações e louvores a Deus. Nos 150 capítulos desse livro, vemos a expressão de todas as emoções humanas a partir da boca dos salmistas.

Diferentemente dos louvores modernos, as emoções são exprimidas com a reverência própria ao culto a Deus.

Para percebermos essa diferença basta compararmos os Salmo 45 com um louvor moderno:

lindo, lindo, lindo és. 

glória, glória, glória eu te dou Jesus, Jesus

lindo, lindo, lindo és. 

glória, glória, glória eu te dou Jesus, Jesus

me leva à sala do trono,

mostra tua beleza, quero ver sua face Deus”

Lindo És, do cantor Juliano Son

“O senhor, ó rei, é o mais formoso dos filhos dos homens; a graça se extravasou nos seus lábios; por isso, Deus o abençoou para sempre.

Cinja a espada no seu flanco, herói; cinja a sua glória e a sua majestade!(…)

O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; cetro de justiça é o cetro do teu reino.

O senhor, ó rei, ama a justiça e odeia a iniquidade; por isso, Deus, o seu Deus, o ungiu com o óleo de alegria, como a nenhum dos seus companheiros.

Todas as suas roupas cheiram a mirra, aloés e cássia; de palácios de marfim ressoam instrumentos de cordas que o alegram.”

Trechos do Salmo 45

Ambas as músicas possuem o mesmo tema: a beleza de Jesus Cristo em seu estado de exaltação enquanto filho de Deus e Messias.

Perceba, porém, a profundidade da descrição feita pelo Espírito Santo, aproximadamente mil anos antes do nascimento do nosso Salvador. 

O salmista nos revela sobre a glória de Cristo, sobre sua força nas batalhas, sobre sua glória e sobre a eternidade de seu trono (o trono de Davi).

Em vez de meramente chamar Jesus de “lindo”, o que beira a irreverência, o Espírito Santo fala de sua beleza utilizando cheiros, desenhando um belo contexto com materiais preciosos e falando de sua justiça e de uma graça que extravasa pelos lábios.

Entre um cristão que canta a primeira música e outro que canta a segunda, é evidente que o nível de maturidade espiritual será radicalmente distinto.

2) Os Salmos expressam os sentimentos do Senhor Jesus em seus sofrimentos

Enquanto outros livros da Bíblia relatam-nos o que foi feito com o Senhor Jesus, somente os salmos nos revelam os pensamentos que ele nutria em seus terríveis sofrimentos por nós pecadores. 

Um salmo que ilustra isso bem é o Salmo 22. Para que um cristão entenda de fato o preço de sua redenção, o Salmo 22 é fundamental. 

Nele vemos Cristo se sentindo abandonado (verso 1), considerando-se  os mais desprezado dentre os homens (verso 6), em meio a mais profunda tribulação.

Vemos sua fé inabalável, digna de imitação nos versos 3–5, em que, olhando para as ações passadas de Deus na história de Israel, ele fortaleceu a própria fé e, em suas profundas agonias, ainda assim teve a certeza de que mais uma vez louvaria a Deus na congregação de seu povo, promessa que ele alcança a cada dia de domingo. 

Ele creu, na hora mais escura da humanidade, na destruição do reino do diabo, na conversão de todos os povos ao Deus de Israel (verso 27).

Um Cristão que canta e medita nos preciosos versos do Salmo 22, atualmente já metrificados pelos nossos irmãos da Comissão Brasileira de Salmodia (CBS), alcançará uma profunda compreensão do sofrimento de Cristo e, sem dúvidas, conseguirá ser um Cristão melhor.

3) Cantar os Salmos auxilia na memorização da palavra de Deus

Deus sabe da nossa fraqueza enquanto criaturas. Sabe que frequentemente estamos com a mente voltada para as coisas dessa terra, e não elevamos os nossos pensamentos para as coisas do céu.

Deus sabe que, na hora da tentação, o diabo busca tirar a palavra de Deus do coração do crente.

Quando aprendemos a palavra por meio da métrica e da melodia, é muito mais fácil memorizá-las, inclusive em largas porções. 

Nos lemos que, em contextos de severa perseguição, uma das maiores dores do povo cristão em prisões é não poder ler a boa palavra de Deus. Frequentemente os versos que eles haviam decorado já não mais vêm à mente.

Nesse momento de trevas, porém, um cristão cuja igreja cantava salmos todos os dias do Senhor conseguirá lembrar da boa palavra de Deus por meio da melodia e do ritmo.

Em tempos em que ideologias radicais tentam suprimir, por meio de ações judiciais, os princípios da nossa religião cristã, talvez começar a cantar os Salmos seja uma preparação útil para nosso futuro próximo…

Conclusão: 

Com esse artigo você aprendeu três benefícios espirituais de enorme utilidade que são dados pelo cântico dos Salmos.

Espero que esses benefícios sejam ainda mais um incentivo para que você se alegre em cantar as músicas que o Senhor Jesus deu a nós por meio de  Seu Espírito.

Caso você tenha gostado desse texto, compartilhe-o com sua família e amigos! Até a próxima. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *